Brucelose e tuberculose

Confira aqui: 

Brucelose

A brucelose é uma doença contagiosa e crônica, causada por bactéria, que atinge animais como bois, búfalos, porcos, entre outros, podendo também ser transmitida aos seres humanos. Os principais sintomas nos animais são: aborto entre o sétimo e oitavo mês de gestação, retenção de placenta e inflamação dos testículos. Os seres humanos contaminados geralmente apresentam febre, dor de cabeça e dores musculares. Outros sintomas são insônia, impotência sexual e dores articulares.

O contágio nos animais acontece pelo contato direto com fetos e placentas eliminados pela fêmea positiva ao abortar ou parir e pela ingestão de pastagem ou água contaminadas por restos do parto ou aborto. Os seres humanos, por sua vez, podem ser acometidos pela doença ao consumir leite cru e seus derivados ou ao manipular os animais doentes durante o parto.

Vacinação

A vacinação contra a brucelose é obrigatória no Espírito Santo e todas as bezerras (bovinas e bubalinas) de 3 a 8 meses de idade devem ser vacinadas. Essa é a principal forma de evitar que a doença atinja o rebanho. A vacina deve ser aplicada por médico veterinário cadastrado no Idaf ou por vacinador sob responsabilidade desse profissional.

Ao serem vacinadas com amostra B-19, as bezerras devem ser marcadas no lado esquerdo da face com o algarismo final do ano de vacinação.

Além disso, é importante realizar exames no rebanho periodicamente. Os machos não são vacinados.

O atestado de vacinação é obrigatório para a obtenção da Guia de Trânsito Animal (GTA), seja qual for a finalidade do transporte. No caso de bovinos e bubalinos destinados à reprodução em outros Estados ou participação em eventos agropecuários também é necessário apresentar o atestado de exame negativo para brucelose e tuberculose para emissão da GTA.

Penalidades

Os produtores que descumprem a obrigatoriedade de vacinação estão sujeitos às penalidades previstas na Lei Estadual nº 5.736, podendo receber multa, ficar impedidos de emitir a GTA para o trânsito de seus animais, devendo, ainda, vacinar as bezerras não vacinadas com a RB51.

Faça sua parte!

• Vacine as bezerras de seu rebanho.
• Adquira somente animais que estejam com os exames atualizados.
• Não manuseie material de aborto sem proteção.
• Enterre adequadamente os fetos e a placenta.


Responsável: Daniele da Costa

Telefone: (27) 3636-3795

E-mail: daniele.costa@idaf.es.gov.br

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard